terça-feira, 17 de outubro de 2017

Viagens para dentro e fora de mim - Postagem parcial 1



                   Está saindo minha nova coletânea de poemas com o título de Viagens para dentro e fora de mim. A tiragem é limitada. Mas, no sentido de que todos os meus queridos leitores tenham oportunidade de lê-la, vou publicá-la em postagens parciais condensadas, aqui no blog, a começar de hoje.



                   Kleber Lago






Viagens para dentro e fora
          de mim





                            KCL






        © Direitos reservados ao autor. Permitida a reprodução de textos, ou                 de parte destes, em citações, desde que indicada a sua autoria


Projeto Editorial:
Kleber Lago

Capa:
Montagem em foto de Chenia Burlamaqui

Revisão técnica e ortográfica:
Cláudia Arôso


 _____________________________________________________

Lago, Kleber
Viagens para dentro e fora de mim / Kleber Cantanhede Lago.      São Luís, MA: KCL, 2017.
90 p.
1.  Poesia brasileira. 2. Literatura brasileira. I. Lago, Kleber.
 II. Título                                                                  
CDD 869.98
___________________________________________________________



                                            SUMÁRIO
 p

APRESENTAÇÃO                                                                                     

       5
DEDICATÓRIAS
         7
VIAGENS PARA DENTRO E FORA DE MIM
11
NÃO CONSIGO MUDAR   |    CORAÇÃO
12
REVELAÇÃO
13
ASSIM, SEM MAIS NEM MENOS
14
AO CRISTO RESSUSCITADO
15
ARTESÃO VERSEJADOR
16
SENSAÇÕES COMUNS NO OUTONO
17
TALISMÃS   |   AMIZADE
18
DA CONVIVCÊNCIA ENTRE MEUS “EUS”
19
LUZ  |  DO SONHO À LOUCURA
20
BUSCANDO INSPIRAÇÃO
21
VERSOS A UM POETA JOVEM
22
O POETA E O RIO
23
DA LEITURA DE UM POEMA   |   RUMO AO ARCO-ÍRIS 
24
AMANTE PARA SEMPRE
25
PROVA
26
SAUDOSISTA
27
NUDEZES   |   SAUDADES
28
DESCULPE-ME A FRANQUEZA
29
ETERNIZAÇÃO
30
VOOS POÉTICOS
31
VIDA COMPLETA   |   QUANDO BAIXO A CABEÇA
32
É SEMPRE POUCO, OU NADA
33
ATENÇÃO   |   ESCOLHA
34
GRATIDÃO A TI E A DEUS
35
CAUTELA
36
INCONCEBÍVEL
37
A RIBEIRINHA E A FLOR
38
RENASCIMENTO
39
CONFORME O MOMENTO   |   BOA NOITE
40
O POETA DA ALEGRIA
41
FALSOS PROFETAS E FALSOS CRISTOS
42
INDELÉVEL
43
JURAMENTRO
45
EMOÇÃO DE UM REGRESSO
46
O ESPELHO QUE EU QUERIA
47
MESMO EM SEGREDO
49
CONFISSÃO
50
TABAGISMO
51
DO MEU ENCONTRO COMIGO
52
CONVERSA COM ESTRELAS
53
FASES
54





RECONHECIMENTO
     55
FELIZ EM MINHA RIQUEZA
56
SOBRE POETAS
57
TUDO BEM
58
HABITUALISMO
59
RESPOSTA
60
SONETO DO AMOR DESFEITO
61
O ESPETÁCULO
62
“NIL NOVI SUB SOLE”
63
O MAIS BELO DOS SONETOS
65
ENQUANTO VALHA A PENA
66
DEMORADA ASSUNÇÃO
67
DIA DE FINADOS
68
O SONHO
69
O GRITO  |  QUADRINHAS PARA ELISA
70
CENAS QUE SE GUARDAM PARA SEMPRE
71
SÓ DO AMOR NÃO ME DESFAÇO
72
FOI ETERNO E VALEU A PENA
73
EM ATOS E PENSAMENTOS
74
CONCEITO PRESCINDÍVEL
75
IMPASSIBILIDADE  |  BUSCA
76
DROGADO
77
TRÊS INSTANTES
78
APENAS POETA
79
À DERIVA
80
PLANTADOR
81
CAMINHANDO SEMPRE
82
A LUZ DO TEU OLHAR
83
RECUSAS
84
O VÍCIO DE VOCÊ
85
AOS PRETENSOS JUÍZES
86
SEQUENCIAL
87
EM BUSCA DO DESTINO
88


SÍNTESE BIOBIBLIOGRÁFICA DO AUTROR
89
  


          
           APRESENTAÇÃO

Este livro, a exemplo de quase todos os demais por mim publicados, é o mais novo produto de um trabalho gráfico semiartesanal, totalmente feito em casa, com utilização de computador e impressora comuns e de outros instrumentos de operação manual. Sua matéria prima são poemas escritos anteriormente a 2017, já divulgados, com o crédito de minha autoria, em ambiente virtual de comunicação social, que abrange o meu blog [kleberlago.blogspot.com], o  Facebook e grupos literários afins, dos que faço parte.

A nova coletânea vem, pois, dar continuidade a um projeto editorial, independente e despretensioso, que há anos venho desenvolvendo no sentido de compartilhar com os amantes da Poesia a expressão verbal, em versos, de sensações emocionais que se despertam em mim no curso de viagens poéticas, nas quais a inspiração me leva ao meu interior e a espaços exteriores de convívio humano com os meus semelhantes.
                                                                     Kleber Lago






          DEDICATÓRIAS        

A Cláudia Arôso, com minha gratidão pelo amor e companheirismo com que ela aperta cada vez mais os laços de nossa união.

Aos meus filhos Klènia, Karina e Vinícius, e ao meu neto Artur, com as bênçãos do pai e avô que deles se orgulha e tem por eles amor sem limite.

Aos meus irmãos José, Aécio, Gracinha, Maria do Carmo e Elisa,  em louvor aos bons sentimentos que nos mantêm unidos e solidários uns com os outros.
           
À querida tia Dilu Cantanhede e aos demais parentes, consanguíneos e afins, com a manifestação do carinho e respeito que lhes tenho.

A todos os amigos e leitores que prestigiam meus humildes escritos.

In memoriam, àqueles que já se tornaram saudades, mas permanecem vivos em mim sob forma de indeléveis lembranças: meus pais, Raimundo e Maria Lago; meus manos Rômulo e Angélica; minha primeira esposa, Vânia; parentes e amigos que aqui fizeram por merecer, para sempre, meu respeito e meu afeto.











Viagens para dentro e fora de mim













                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          11

                   VIAGENS PARA DENTRO E FORA DE MIM

Se viajo para dentro de mim,                e é por causa dele que consigo
encontro, às vezes,                               ser sempre humilde
alguns dos meus outros “eus”.              sem nunca me mostrar covarde.
                                                                                                                              
Cumprimento-os por mera gentileza,   Foi com ele que aprendi a musicar
mas sem lhes dar muita atenção          os sons e os silêncios,
para evitar influências deles                  assim como enxergar poesia,
sobre o comportamento do “eu”            tanto no que me parece estático
que quero carregar, enquanto viva.       no instante da infinita eternidade
                                                               em que marco presença                       Se viajo para fora de mim,                     quanto na vida que se movimenta
é com este “eu” que eu ando,                em mim e fora de mim.
porque ele torna macias                        
aos pés de minha alma                          É com este que eu torno poema
as mais duras estradas.                         minhas alegrias e frustrações,
                                                               em versos que não machucam
É ele que me permite                             nem ferem os que me ouvem,
igualar em intensidade                           enquanto os vou declamando
o dar e o receber amor,                          estrada afora            



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          12

NÃO CONSIGO MUDAR

Rio quando o momento pede riso,
não aprendi a chorar
para lamentar por minhas dores
e nunca faço teatro para dar satisfação
aos que gostariam que eu fosse
diferente do que sou.

Mas como sei pedir perdão
se desagrado a alguém
embora involuntariamente,
espero que me perdoem
os que me condenam
por eu não saber fingir
que sou de outro jeito.



CORAÇÃO

Se coração
não pensa nem sente,
isso pouco me importa,
e continuarei a dizer que amo,
recebo amor e me dou, de coração.

Afinal,
é pelas suas batidas
aqui dentro do meu peito
que meço a intensidade
dos meus sentimentos.




                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          13

   REVELAÇÃO


Um velho sabiá numa gaiola
fá-lo pensar que vai cantar, no entanto
parece que algo essa intenção degola,
pois o pássaro logo engole o canto.

Triste, o menino segue rumo à escola,
e o pensamento disso o fere tanto,
que ele desaba em si e não controla
a sensação de dor que o leva ao pranto.

Eis um quadro que, visto em sua essência,
revela que é bem viva na inocência
a instintiva noção da realidade

de como o adulto, por estupidez,
se apossa até de um canto que Deus fez
para ser entoado em liberdade.




                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          14

        ASSIM, SEM MAIS NEM MENOS


Não te zangas, embora alguém te diga
que sempre, quando estou de ti ausente,
nunca me falta ao lado alguma amiga,
nem alegre expressão em meu semblante.

Nisso não vês motivo para intriga,
pois sabes que não há quem te suplante
no ser por mim amada, ou quem consiga
fazer-me te esquecer um só instante.
                   
Percebes que a saudade cedo ateia
fogo em meu peito e põe-me a mente cheia
do anseio de voltar para onde estás.

Por isso é que, na volta, mal eu chego,
já me recolhes ao teu aconchego,
no mesmo clima de doçura e paz!






                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          15

    AO CRISTO RESSUSCITADO


Por onde tenho andado, onde converso,
sempre encontro mais gente convencida
de que, com fé em TI, a humana lida
será só de vitórias, sem reverso.

Li e ouvi sobre muitos, no universo,
que por seus ideais deram a vida,
e recebem, por isso, a merecida
homenagem, em atos, prosa e verso.

Mas não conheço herói sacrificado
que, a exemplo de TI, tenha gerado
um contingente igual de seguidores,

e que voltasse – em nós ressuscitado – 
a nos trazer perdão para o pecado,
luz às trevas, doçura aos dissabores!...



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          16

ARTESÃO VERSEJADOR

Tornei-me artesão do verso,
e de maneira singela,
crio poemas – as peças
desse meu artesanato.

Cada peça que ofereço,
nada custa a quem receba,
porquanto a matéria prima
de sua composição
eu a consigo de graça,
e a paga por meu trabalho
é o prazer de executá-lo.

Artesão versejador,
não digo que sou poeta,
mas sei que por onde eu passo
em tudo enxergo a Poesia.

Faço, então, minhas colheitas
de emoções, a que dou formas
verbais dentro dos poemas,
com que busco mitigar
essa avidez pelo Belo,
que nos outros, quanto em mim,
nunca vai ser saciada...



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          17

SENSAÇÕES COMUNS NO OUTONO


Nos últimos outonos tenho ouvido,
no silêncio das noites, teus reclamos
por supostos desejos, reprimidos
dentro de nós enquanto nos amamos.

Decerto, isso não faz nenhum sentido,
pois nosso amor murchou sem criar ramos,
e já vai meio século vencido,
desde o momentos em que nos separamos.

Talvez nem tenha havido esse desejo
mútuo, inconfesso e não realizado,
já que o busco na mente, e não o vejo.

Então, tais sensações, comuns no outono,
são coisas de “demônios” do passado,
no intuito, apenas, de roubar-me o sono...



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          18

TALISMÃS                         

Dentro da simbologia
que abrange o número “4”,
é ele que quantifica:
- os elementos alquímicos;
- as estações anuais;
- as fases de nossa lua;
- os grandes evangelistas;            AMIZADE
- os cavaleiros que João          
  refere no Apocalipse;               Não há peso nem medida
 - os braços da cruz antiga;       com que se possa aferir
 - as letras do nome DEUS...     a verdadeira amizade,
                                                    tal como não há moeda
Sem estar pensando nisso,       que nos permita, também,
plantei no jardim da alma          representar-lhe o valor.
uma muda de “trifolium”,
conhecido como trevo,               Assim, se me indaga alguém
que medrou e cresceu logo,      sobre o que é e o que vale
mas, contraditoriamente            a amizade para mim                          
ao que quer dizer o nome,         respondo que, quanto às minhas,        dá “trevos de quatro folhas”       eu bem sei que vale a pena
                                                    senti-las e preservá-las.
Eis por que trago comigo,
aonde vou, onde estou,
vários desses talismãs,
de iguais poderes de sorte,
e que me permitem sempre
realizar meus desejos,
por obra dessa magia
que o número “4” encerra.



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          19

DA CONVIVÊNCIA ENTRE MEUS “EUS”


Faço, às vezes, viagens por espaços
temporais, hoje aquém e além de mim,
percebendo que a marcha dos meus passos,
no sentido em que for, não chega ao fim.

Se eu ando para trás, não são escassos
os quadros do passado de onde vim;
se para frente, saio dando abraços
no que não sei se alcançarei, enfim...

São tais viagens do meu EU poeta,
divagador, ao qual de minha mente
concedi o quinhão que lhe cabia,

quinhão que ele bem usa, e não afeta
o do meu outro EU, que é consciente
do que é realidade e fantasia.



                           Kleber Lago - Viagens para dentro e fora de mim          20

LUZ

Em vela de estearina,
bico de gás, lampião,
candeeiro, lamparina,
lâmpada elétrica, bem
como em nossa própria mente,
tudo o que se faz candente
e clareia a escuridão,
como luz só se mantém
enquanto lhe dá sustento
uma fonte de alimento.


DO SONHO À LOUCURA

Num sonho, quase pesadelo,
eu caía de bem alto,
até bater com a cabeça
perto do teu coração.

Acordei louco,
e na minha loucura
continuo, ainda hoje,
louco por ti,
e aos teus cuidados...



Abraços a tidos e obrigado pelo carinho e atenção!
                                     Kleber Lago
© Kleber Cantanhede Lago